segunda-feira, 17 de outubro de 2011

O Efeito Estufa e o Aquecimento Global

Prof. Adão Reinaldo Farias



Para Baird (2002) o Sol é a principal fonte de energia para a Terra. A energia que chega a superfície terrestre na forma de energia eletromagnética (ultravioleta, visível e infravermelho), é parte refletida pela superfície do planeta e retorna à atmosfera na forma de radiação infravermelha (calor). Caso não houvesse atmosfera, essa energia seria perdida no espaço e a Terra teria uma temperatura média entre -20 e 40 °C, que inviabiliza a existência da vida conforme conhecemos. A presença de água (H2O) e dióxido de carbono (CO2) minimiza essa perda, mantendo a temperatura media da Terra em cerca de 14 °C e são responsáveis pelo “efeito estufa”, fenômeno que mantém o planeta aquecido.

O acúmulo de dióxido de carbono (CO2) na atmosfera, hoje em dia pode estar contribuindo com o aumento do efeito estufa. O dióxido de carbono (CO2) é um gás comum na maior parte das combustões (processos de queima). É formado quando se queimam materiais contendo carbono na sua composição, por exemplo, a maioria dos combustíveis, madeira, etc.. Um dos mecanismos de sua remoção da atmosfera ocorre via fotossíntese pelos vegetais. Outros gases também contribuem para o efeito estufa: como, por exemplo, o metano (CH4), produto da decomposição de matéria orgânica em baixa concentração de oxigênio (O2). O dióxido de carbono (CO2) pode ser emitido pelo processo de respiração de todos os organismos vivos e por atividades vulcânicas. O desmatamento de florestas também é um fator agravante, pois as árvores em crescimento absorvem o dióxido de carbono (CO2).

As principais conseqüências de um aumento do efeito estufa na Terra são a elevação global da temperatura média, o que poderá acarretar as seguintes mudanças:

  • Derretimentos das geleiras e elevação do nível do mar;
  • Implicações no clima, afetando a produção agrícola, acarretando tempestades, inundações e secas;
  • Proliferação de insetos, aumentando doenças como a malária, a dengue e casos de diarreia e infecção alimentar.



Referências:

BAIRD, C.. Química ambiental. 2.ed. Porto Alegre: Bookman, 2002.
QUÍMICA AMBIENTAL. (1999) Disponível em: http:www.wikipedia.org.br. Acesso em: 15 out. 2011.
ROCHA, J. C.; ROSA, A. H.; CARDOSO, A. A. Introdução à química ambiental. Porto Alegre: Bookman, 2004.

obrigado pela visita

Related Posts with Thumbnails