sexta-feira, 8 de março de 2013

Plano de Trabalho Docente - Física - 2013



Plano de Trabalho Docente


C.E. Conjunto João de Barro




Disciplina: Física


Séries: 1º, 2º e 3º Ano – Ensino Médio


Professor: Adão Reinaldo Farias


Marialva – PR


2013
FUNDAMENTOS DA DISCIPLINA

Antigos registros históricos já mostravam que os seres humanos se preocupavam em entender e explicar o mundo no qual viviam. Ao longo do tempo, temos organizado muito desse entendimento e tentado, com ele construir nosso mundo.

Uma sociedade se caracteriza por uma visão de mundo que inclui conhecimento, hábitos e costumes, mitos e crenças. Também, caracteriza-se pelo modo de produção que determina as relações entre os homens, suas condições de vida, em cuja base está o trabalho.

A ciência surge na tentativa de decifrar o universo físico, a qual é determinada pela necessidade humana de resolver problemas práticos e demandas materiais em determinada época; logo é histórica e constitui visão de mundo.
Ciência significa “conhecimento”. Ela resulta de um processo de observação, estudo e tentativa de explicar o ambiente em que vivemos. Ciência é criatividade, é aprender a fazer. Por isso, explicar e fazer ciência tem que ser por meio de muitas atividades.

A Física pode ser considerada a base de todas as outras ciências e da tecnologia, pois estuda os componentes básicos de um determinado fenômeno e as leis que governam suas interações. Através da Física, dentro de uma perspectiva histórico-crítica, podemos formar sujeitos por meio de conteúdos que o levem a compreensão do universo, sua evolução, suas transformações e as interações que nele se apresenta.


OBJETIVO GERAL

A Física é uma ciência que tem como objeto de estudo o Universo, sua evolução e as interações que nele se apresentam. Por alguma razão, os fenômenos da natureza obedecem equações matemáticas, possibilitando elaborar modelos para compreender os fenômenos da natureza.

Compreender a importância da cultura produzida pelos homens, é importante para entender a relevância histórica dessa produção dentro da história da humanidade.

Visualizar a elegância das teorias físicas, a emoção dos debates em torno das idéias científicas, a grandeza dos princípios físicos, desafia a todos nós, professores e estudantes, de compartilharmos, ainda com um pouco de Matemática, os conceitos e a evolução da Física, presentes desde que o homem, por necessidade ou curiosidade, passou a se preocupar com o estudo dos fenômenos naturais. (MENEZES, 2005).


OBJETIVOS ESPECÍFICOS

O estudo dos movimentos, a mecânica de Newton, é importante por estar fortemente ligado às questões externas ao meio científico como, por exemplo, as guerras, o comércio, os mitos e a religião. Também permite compreender fenômenos ligados ao cotidiano, como caminhar, o movimento de projéteis e dos automóveis, o equilíbrio de corpos em um meio fluído, o movimento dos planetas em torno do Sol e o da Lua em torno da Terra. Ressalte-se, ainda, a importância de algumas entidades físicas, aplicadas a partículas como as ondas, por exemplo, o momentum e a energia, cuja compreensão é importante para estudos que vão desde a colisão de duas bolas de gude até a compreensão de processos que envolvem a moderna cosmologia.

Na História, encontramos outra grande síntese, hoje chamada Leis da Termodinâmica. Seus estudos se baseiam nos conceitos de temperatura, calor, entropia e nas relações entre calor e trabalho mecânico. Através dos estudos da termodinâmica, foi possível entender o mundo microscópico da matéria. Entender os processos em que ocorrem trocas de calor, tão presentes no cotidiano, e seus principais conceitos, torna-se fundamental para que a Física seja vista como uma Ciência em construção e, também, para se compreender o universo.

Também são objetos de estudo da Física os fenômenos em que a carga elétrica se apresenta. O eletromagnetismo, seu conhecimento e sua aplicação não estão ligados apenas à compreensão da natureza, mas também às inúmeras inovações tecnológicas surgidas no último século, a partir dos trabalhos de Maxwell, cujas equações levam às quatro Leis do Eletromagnetismo clássico.

Assim, os três conteúdos – Movimento, Termodinâmica e Eletromagnetismo – são estruturantes porque indicam desdobramentos em conteúdos específicos que permitem trabalhar o objeto de estudo da Física da forma mais abrangente possível.



CONTEÚDOS ESTRUTURANTES:

Movimentos, Termodinâmica e Eletromagnetismo.


CONTEÚDOS BÁSICOS:

Momentum e Inércia
Conservação da Quantidade de Movimento(momentum)
Variação da Quantidade de Movimento(Impulso)
2a Lei de Newton
3a Lei de Newton e Condições de Equilíbrio
Gravitação
Energia, Princípio da Conservação da Energia, Trabalho e Potência
Lei Zero da Termodinâmica, 1a e 2a Leis da Termodinâmica
Carga Elétrica, Corrente Elétrica, Campo e Ondas Eletromagnéticas
Força Eletromagnética
Equações de Maxwell (Lei de Gauss para Eletrostática, Lei de Coulomb, Lei de Ampère, Lei de Gauss Magnética e Lei de Faraday)
A Natureza da Luz e suas Propriedades


CONTEÚDOS ESPECÍFICOS:

1º ANO

INTRODUÇÃO À FÍSICA
Campo de estudo e atuação da Física
História da Física
A Física contemporânea e suas aplicações tecnológicas

MECÂNICA
Movimentos retilíneos
Movimentos curvilíneos
Movimento circular uniforme
Queda livre
Os Princípios da Mecânica (Leis de Newton)
Energia, Trabalho e Potência
Impulso e quantidade de movimento
Gravitação Universal
Hidrostática

2º ANO

FÍSICA TÉRMICA
Fenômenos térmicos
O calor e a temperatura
O fenômeno da dilatação nos sólidos, líquidos e gases
As mudanças de estado físico da matéria
Trocas e transmissão do calor
Comportamento térmico dos gases
Leis da Termodinâmica

ONDULATÓRIA
Fenômenos ondulatórios
Ondas mecânicas e eletromagnéticas
Natureza ondulatória e quântica da luz

ÓPTICA
Fenômenos luminosos
Princípios da Óptica Geométrica
Aplicações do fenômeno da reflexão e reflação da luz
Lentes e instrumentos ópticos de observação
Espelhos
A óptica e o olho humano

3º ANO

ELETRICIDADE E MAGNETISMO
Fenômenos elétricos e magnéticos
Aspectos estáticos e dinâmicos da eletricidade
A Lei de Coulomb
Campo elétrico e potencial elétrico
Corrente elétrica
Geradores e circuitos elétricos
Campo magnético
Indução magnética
Equações de Maxwell

ENERGIA
Energia e suas transformações
Fontes e tipos de energia
Energia, meio ambiente e os potenciais energéticos do Brasil
A energia elétrica nas residências


PROPOSTA DE AVALIAÇÃO

A avaliação deverá levar em conta os pressupostos teóricos adotados nas Diretrizes Curriculares. Ao considerar importantes os aspectos históricos, conceituais e culturais, a evolução das ideias em Física e a não-neutralidade da ciência, a avaliação se verifica pelo progresso do estudante quanto a esses aspectos. Avaliar é considerar a apropriação dos objetos da Física pelos estudantes.

A avaliação terá um caráter diversificado e verificará aspectos como:

- a compreensão dos conceitos físicos;

- a capacidade de análise de um texto, seja ele literário ou científico, para uma opinião que leve em conta o conteúdo físico;

- a capacidade de elaborar um relatório sobre um experimento ou qualquer outro evento que envolva a Física.

No entanto, a avaliação não poderá ser usada para classificar os alunos com uma nota, com o objetivo de testar o aluno ou mesmo puni-lo, mas sim de auxiliá-lo na aprendizagem. Ou seja, trata-se de tomá-la como instrumento para intervir no processo de aprendizagem do estudante, cuja finalidade e sempre seu crescimento.

Conteúdos Específicos a serem avaliados:

1.º ano – 1.º bimestre

1 Introdução à Física
1.1 Campo de estudo e atuação, grandezas físicas e unidades de medida
1.2 História da Física
1.3 A Física contemporânea e suas aplicações tecnológicas

2 Movimentos Retilíneos
2.1 Galileu e o estudo dos movimentos
2.2 Movimento retilíneo uniforme
2.3 Movimento retilíneo uniformemente variado e queda livre

3 Movimentos curvilíneos
3.1 Lançamento horizontal e oblíquo
3.2 lançamento oblíquo

4 Movimento circular uniforme


1.º ano – 2.º bimestre

5 Os Princípios da Mecânica (Leis de Newton), Impulso e Quantidade de Movimento
5.1 Forças e interações
5.2 Força gravitacional
5.3 Força normal, força de atrito e resistência do ar
5.4 Impulso de uma força
5.5 Quantidade de movimento de um objeto e sua variação
5.6 Lei fundamental dos movimentos ou segunda lei de Newton
5.7 Queda livre e plano inclinado
5.8 Lei da ação e reação
5.9 Lei da inércia
5.10 Conservação da quantidade de movimento

1.º ano – 3.º bimestre

6 Gravitação Universo
6.1 As leis de Kepler
6.2 Lei da gravitação universal
6.3 Campo gravitacional
6.4 Força Centrípeta

7 Energia
7.1 Energia, formas de energia e conservação
7.2 Conservação da energia mecânica
7.3 Energia potencial de interação e energia dissipada

1.º ano – 4.º bimestre

8 Trabalho e Potência
8.1 Trabalho: medida da energia transferida e/ou transformada
8.2 Cálculo do trabalho através da energia potencial de interação gravitacional
8.3 Cálculo do trabalho através da força e do deslocamento
8.4 Potência

9 Hidrostática
9.1 Fluidos, densidade e pressão
9.2 Princípio de Pascal
9.3 Princípio de Arquimedes

2.º ano – 1.º bimestre

10 Fenômenos térmicos, Calor, Temperatura, Trocas e transmissão de calor
10.1 Matéria, temperatura e calor
10.2 Conceito de temperatura
10.3 Conceito de calor
10.4 Processos de variação de temperatura

10 Mudanças de estado físico da matéria, Dilatação nos sólidos, líquidos e nos gases e Comportamento térmico dos gases
10.1 Variação da temperatura
10.2 Mudança de estado físico: fusão e solidificação
10.3 Mudança de estado físico: vaporização e condensação
10.4 Um modelo para mudança de estado
10.5 Dilatação nos sólidos e líquidos
10.6 Dilatação nos gases

2.º ano – 2.º bimestre

11 Leis da Termodinâmica, Máquinas Térmicas
11.1 A utilização das máquinas térmicas
11.2 A produção do movimento nas máquinas térmicas
11.3 As transforações gasosas no motor de um automóvel
11.4 As leis da termodinâmicas

2.º ano – 3.º bimestre

12 Fenômenos ondulatórios, Ondas mecânicas e eletromagnéticas, A óptica e o olho humano, Fenômenos luminosos, Lentes e instrumentos ópticos de observação e Princípios da Óptica Geométrica
12.1 Luz e visão
12.2 Diferentes interação luz-matéria
12.3 A representação da luz

13 Espelhos, Aplicações do fenômeno da reflexão e refração da luz
13.1 Espelhos
13.2 Leis da reflexão
13.3 A construção de imagens em espelhos esféricos
13.4 Localização e caracterização de imagens nos espelhos esféricos

2.º ano – 4.º bimestre

14 Refração
14.1 Refração da luz
14.2 Leis da refração da luz
14.3 Imagens obtidas por refração
14.4 Caracterização das lentes esféricas delgadas e de suas imagens
14.5 Reflexão total

15 Natureza ondulatória e quântica da luz
15.1 Luz como partícula
15.2 A difração da luz
15.3 A interferência luminosa
15.4 A polarização da luz
15.5 A refração da luz branca no prisma e na atmosfera
15.6 A velocidade de luz na refração


3.º ano – 1.º bimestre

16 Fenômenos elétricos e magnéticos, Aspectos estáticos e dinâmicos da eletricidade, Corrente elétrica, Geradores e circuitos elétricos
16.1 Circuitos elétricos
16.2 Transformações de energia nos aparelhos elétricos
16.3 Caracterização dos aparelhos elétricos e suas fontes
16.4 Corrente elétrica
16.5 Resistência elétrica
16.6 Efeito Joule
16.7 Associação em paralelo e em série de resistores e fontes
16.8 Curto-circuito, fontes ou geradores e receptores

3.º ano – 2.º bimestre

17 Campo elétrico e potencial elétrico, A Lei de Coulomb
17.1 A matéria vista por dentro
17.2 Processos de eletrização
17.3 Pilhas e baterias: campo elétrico
17.4 Campo e força elétricos
17.5 Tensão e energia potencial elétrica
17.6 Modelo de corrente elétrica nos metais

3.º ano – 3.º bimestre

18 Campo magnético
18.1 Bússolas e imãs
18.2 Terra, bússolas e imãs: a interação magnética
18.3 O campo magnético
18.4 O imã e o eletroimã
18.5 A interação entre correntes

19 Indução magnética, Equações de Maxwell, Energia e suas transformações, Fontes e tipos de energia, Energia, meio ambiente e os potenciais energéticos do Brasil, A energia elétrica nas residências
19.1 Faraday e o fenômeno da indução eletromagnética
19.2 A lei de Lenz e a lei de Faraday
19.3 As usinas e a distribuição de energia elétrica

3.º ano – 4.º bimestre

20 Tópicos da Física moderna
20.1 Um novo paradigma
20.2 A física moderna que podemos encontrar no laser, na cultura e no entrenimento
20.3 Da bomba atômica à radioterapia
20.4 O núcleo atômico


Notas
Atividades realizadas, lista de exercícios: valor 2,0 ponto
Trabalho realizado: valor 2,0 ponto
Prova de verificação: valor 6,0 pontos
Prova de reavaliação: valor 6,0 pontos (recuperação paralela)
Trabalho de reavaliação: valor 4,0 pontos (recuperação paralela)


METODOLOGIA

É importante que no processo pedagógico, na disciplina de Física, parta do conhecimento prévio dos estudantes, pois, o estudante adquire a concepção espontânea no dia a dia, na interação com os diversos objetos no seu espaço de convivência, os quais, na escola, fazem-se presentes ao iniciar o processo de ensino-aprendizagem. Por sua vez, a concepção científica envolve um saber socialmente construído e sistematizado, que requer metodologias específicas para ser transmitido no ambiente escolar. A escola é, por excelência, o lugar onde se lida com o conhecimento científico historicamente produzido. A composição de uma sala de aula mistura pessoas com diferentes costumes, tradições, preconceitos e ideias que dependem também dessa origem, o que torna impossível moldá-las como se fossem iguais. Num determinado conteúdo, o professor terá que considerar o que eles conhecem. Talvez será o ponto de partida para o início de uma aprendizagem que agregue significados para professor e estudantes. É imprescindível que o professor cumpra sua função de uma espécie de “informante científico”, para ir além do limite da informação e atingir a fronteira da formação, através de uma mediação não-aleatória, mas identificada pelo conhecimento físico, num processo organizado e sistematizado pelo professor.

No desenvolvimento dos conteúdos será abordado a importância da Física no mundo, com relevância aos aspectos históricos, o conhecimento enquanto construção humana e a constante evolução do pensamento científico, assim como, as relações das descobertas científicas com as aplicações tecnológicas na contemporaneidade.

O uso da experimentação é viável e necessário no espaço e tempo mesmo que seja por meio de demonstração feita pelo professor, ou da utilização de materiais alternativos e de baixo custo, na construção e demonstração dos experimentos.

A estratégia de brinquedos e jogos no ensino de Física será utilizado para que o educando possa ser instigado a pesquisar e propor soluções.

As aulas serão expositivas e práticas partindo do conhecimento prévio dos alunos, utilizando textos do livro pedagógico: Física e Realidade, textos científicos, bem com situações vividas na prática e relacionando com o conteúdo científico sistematizado.

Serão utilizados o laboratório de ciências para aulas práticas e o laboratório de informática para pesquisa em blogs e sites que tenham como conteúdo a Física e outras ciências e o Blog do Prof. Adão Reinaldo Farias (Física e Química no Cotidiano).

Na TV pendrive será exibido vídeos e aulas do Novo Telecurso para auxiliar na compreensão dos conceitos físicos.

REFERÊNCIAS

PARANÁ, Secretaria de Estado da Educação. Diretrizes Curriculares da rede pública de educação básica do Estado do Paraná: Física. Curitiba: SEED/DEM, 2009.

GONÇALVES FILHO, Aurelio. Física e Realidade: ensino médio física – Aurelio Gonçalves Filho, Carlos Toscano. -1. ed. - São Paulo: Scipione,2010. (Coleção Física e realidade).

obrigado pela visita

Related Posts with Thumbnails